sábado, 12 de janeiro de 2013

TERRITÓRIOS E TERRITORIALIDADES PUNKS EM GOIÂNIA: Resistência de uma Cultura Juvenil. JULIANA MENDES DE MORAIS (2009)



O presente artigo é resultado de uma pesquisa desenvolvida no decorrer do ano de 2007 na  cidade de Goiânia, com o objetivo de estudar os territórios  punks  existentes na cidade. A  escolha de um grupo que é marginalizado pela sociedade em que estão inseridos pode causar  estranhamento, mas trata-se de uma cultura juvenil que tem uma proposta de ação interessante  dentro da sociedade em que estão inseridos o “faça você mesmo”, ou seja, não esperem e não  dependam de ninguém para fazer algo pela e na cena. 

Assim, para atingir o objetivo o  conceito de território e territorialidade pareceu mais adequado, pois a sua dominação está  relacionada com o exercício do poder, o qual o “nós” e os “outros” são bem estabelecidos e  delimitados. E isto pode ser comprovado através de olhares que são direcionados a quem não  participa da cena. Assim, a cidade de Goiânia tem atualmente dois espaços que ao serem  apropriados por indivíduos punks, acabam se transformando, mesmo que momentaneamente,  em seus territórios: a  Hocus Pocus, uma loja, e o Capim Pub. Nestes locais o  punk ainda  resiste. 

São territórios sem temporalidade definida, que são demarcados somente quando os  punks estão nestes locais. É através desta não determinação de regras, com nada fixo ou bem  definido, que permite a sua sobrevivência na cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CLEPTOMANIA - Punk Sergipe 80/90