sexta-feira, 22 de junho de 2012

O CASO MORCEGO E DINHO

      Um dos fatos mais comentados nos meios punks, libertários e undergrounds, principalmente os das cenas situadas no Nordeste, é o caso Morcego e Dinho, vocalista e baixista da banda Bosta Rala, que foram assassinados em 1996? pela polícia militar da Bahia.
      Segundo a versão mais divulgada, os dois foram mortos devido ao conteúdo de suas letras, diretas e debochadas, que tinham como alvo o Estado, a Polícia,a mídia, o Ganguismo e outras manifestações fascistas e microfascistas. 
     Uma dessas letras, a famosa e perigosa IDIOTA, teria irritado profundamente a corporação estatal dedicada a ordem e a defesa dos cidadãos comuns.
     Capturados, os dois teriam sido levados a um local distante e assassinados com requintes de crueldade. Embora nada tenha sido "provado" não duvido nenhum pouco que isso tenha realmente acontecido. 
  Há alguns anos atrás durante a apresentação de bandas no ENCONTRO PARA NOVA CONSCIÊNCIA, evento ecumênico que ocorre anualmente na cidade de Campina Grande-PB, uma banda que iria tocar IDIOTA foi "gentilmente aconselhada" a não tocar a famigerada música, sob a ameaça de prisão, na mais otimistas das hipóteses.
    Acredito que o problema não está na letra. Está numa sociedade que afirma que "é livre a expressão de atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CLEPTOMANIA - Punk Sergipe 80/90